QUARTA-FEIRA, 18 DE OUTUBRO DE 2017
Publicada dia: 26/09/2017

Giovanna Ewbank diz que abriu os olhos sobre o racismo após chegada de Titi

Fonte:

Giovanna Ewbank ganhou uma surpresa na comemoração do primeiro milhão de seguidores no seu canal do YouTube e recebeu fãs para uma gravação especial. No vídeo, ela contou sobre como sua chegada na internet transformou o contato com o público.

"O que aconteceu na minha vida depois do YouTube e Instagram, redes sociais, foi incrível. Eu comecei a trabalhar na Globo com 20 anos, muito nova, tava começando uma carreira, o Bruno já tinha anos de carreira na Globo, já era um grande ator da Globo, eu começando. Eu conheci ele com 21 anos, 1 ano depois de ter começado a trabalhar. Sempre fiquei vinculada como namorada do Bruno Gagliasso que é um grande ator, e eu uma atriz que tava começando. Nunca consegui mostrar quem eu era ali dentro. No momento que mais conseguiu mostrar quem eu era na Globo, foi quando fiz 'Dança dos Famosos', que comecei a falar por mim, sem personagem. Depois fiz a matéria no Malaui,  que era eu, e depois entrei no 'Vídeo Show'. Mas o 'Vídeo Show' não deixa a gente falar do jeito que a gente fala. Eu sou desbocada, né? Em uma TV você é podada da maneira que eles querem que você seja naquele produto. O Instagram me ajudou muito nisso, e YouTube foi extensão disso, pude dar voz para mim mesmo. Hoje posso falar por mim, e não uma mídia, uma entrevista que mudam as palavras da maneira como eles querem para que seja uma bomba. Isso me aproximou de vocês", refletiu a mulher de Bruno Gagliasso.

Na sequência, foi perguntada sobre se vê sua história com a filha, Titi, que ela e Bruno adotaram no Malaui, como possibilidade de levanta questões na sociedade.

"A vida é nossa, a gente vive uma vez. Nós somos protagonistas das nossas vidas. Já tive vários momentos em que minha vida foi muito exposta. Já me separei do meu marido, fiquei muito abalada. Mas nunca deixei que o que as pessoas pensam sobre a minha vida interferisse no que sinto, penso e quero para mim. Não pensava em adotar ou ter filho tão cedo. Gosto muito de trabalhar. E fui ao Malaui, a trabalho e me apaixonei pela Titi. Sabia que ela era minha filha. Quando liguei para o Bruno e disse que encontrei a nossa filha, óbvio que sabíamos o que iam falar. 'Ah, mas não foi no Brasil', 'isso ou aquilo'. F... Vou deixar de viver o amor verdadeiro por conta do que vão falar?", disse ela.

Em outro momento, ela contou como a filha abriu seus olhos para o racismo existente no Brasil. "A Titi chegou já me ensinando uma porrada de coisa. Chegou fazendo um furacão na minha vida. Sempre soube que existia a desigualdade racial, preconceito, mas não estava perto de mim, não tinha essa noção. Hoje, quando entro em um restaurante, quero ver quantos negros estão sentados comendo no mesmo restaurante que eu. Eu quero que nos ambientes que eu estou, quero ver quantos negros e negras estão ali comigo. Minha vida mudou completamente depois que a Titi chegou na minha vida. Meu objetivo de vida é que ela seja a mulher mais feliz desse mundo, empoderada, que lute por seus direitos, que sirva de inspiração para outras crianças e mulheres negras. É tentar pelo menos alertar para pessoas que sabem que existe a desigualdade racial, assim como eu sabia, mas alertar para que as pessoas que sabem que existe a desigualdade racial, assim como eu sabia, mas alertar para que as pessoas façam alguma coisa. Eu sabia e não fazia, porque não tava ao meu redor. Nunca fui racista, mas não fazia nada por isso. Hoje o que mais quero é abrir os olhos e alertar a população para a desigualdade racial, essa questão. Acho que a Titi tem muita importância nessa questão. Sem querer, ela já movimentou a minha vida e de várias pessoas. Deus não faz nada por acaso, ele precisa dar uma chacolhada em mim, no Bruno e nas pessoas ao nosso redor. Hoje a nossa maior preciosidade é a Titi, que ela seja feliz, empoderada, maravilhosa e lute por tudo que ela quer", refletiu ela, que não segurou as lágrimas ao falar sobre o assunto.

Sobre sua carreira de atriz, Giovanna conta que é muito feliz na profissão, mas que em alguns momentos perdeu seu foco.

 

"Não pensava em ser famosa, trabalhar na TV. Comecei a fazer trabalho pois era muito tímida. E ali encontrei um mundo novo e que para mim foi maravilhoso. Até que passei no teste da 'Malhação' para fazer a Marcinha. E aí fui fazendo vários outros trabalhos. E eu descobri que sou muito mais feliz atuando no teatro e fazendo cursos. Nos cursos, sou a atriz mais feliz do mundo pois ninguém está aprovando meu trabalho ou não, estou vivendo e sentindo. Se você for trabalhando pensando em agradar não é orgânico. Me perdi um pouco na televisão tentando agradar o público e não agradando a mim mesma. Eu perdi a minha essência em um momento na televisão. Pois eu queria agradar o público. Se você não agrada a si mesmo, não agrada a ninguém. Nunca perca sua essência", aconselhou.