SEXTA-FEIRA, 15 DE DEZEMBRO DE 2017
Publicada dia: 04/10/2017

Guitarrista de banda de rock secular ora por fãs e prega Jesus após cada show

Fonte:

Brian “Head” Welch é um dos mais conhecidos guitarristas de rock do mundo atualmente, por integrar a banda Korn e por sua postura em relação à fé. Cristão, ele testemunha sobre sua conversão abertamente e também ora pelos fãs após os shows.

As histórias ligadas à fé de Brian farão parte de uma série documental desenvolvida pelo produtor Darren Wilson, fundador da WP Films, que acompanha a jornada do músico e ao longo dos anos, terminou se tornando um amigo e tenta mostrar qual o propósito de um cristão ser integrante de uma banda secular.

“Há uns dez anos, Brian se converteu radicalmente e acabou deixando o Korn. Recentemente, sentindo que Deus estava chamando ele de volta para este mundo, Brian voltou para a banda e está atualmente em turnê com eles. Ele ainda ama Jesus, mas agora ele vê seu mundo como um campo missionário”, disse o produtor ao portal Charisma News.

Além de Brian “Head”, o baixista do Korn, Fieldy, também é cristão, e aproveita a fama para contar seu testemunho. De acordo com Wilson, Brian tem uma postura bastante incisiva a respeito das oportunidades de evangelismo.

“Ele se reúne com os fãs depois de cada show, conta seu testemunho, ora por eles, vê curas e salvação o tempo todo. Ele está fazendo o que, geralmente, a maioria dos cristãos espera que ele faça. Qual o único problema? Ele ainda está cantando as mesmas canções dark usando a mesma imagem dark. Isso leva muitos cristãos a um impasse. Como você pode ser cristão e ainda ser uma parte de algo assim?”, comentou o produtor, a respeito das polêmicas criadas a partir do assunto.

Darren Wilson revelou, ainda, que o próprio guitarrista já se fez essas mesmas perguntas durante suas reflexões: “Ele admite que não estaria fazendo isso se Deus não tivesse mandado claramente. Ele não tinha vontade de voltar para esse mundo. Mas Deus tinha um propósito para ele, e agora ele está simplesmente sendo obediente da melhor maneira possível”, disse.

“[Brian] entende essa tensão. Ele é muito consciente da dualidade de fazer parte disso, porque ele traz Jesus para esse ambiente — sabendo que muitos adolescentes não terão outras vozes em sua vida que ofereçam a esperança em Cristo”, afirmou o produtor.

“‘Não participem das obras infrutíferas das trevas; antes, exponham-nas à luz’. Este é um versículo frequentemente citado por Brian neste debate e, em parte, eu entendi. Por um lado, ele tem uma relação com as obras infrutíferas das trevas [através da música dark], mas por outro, ele se encontra com milhares de adolescentes depois desses shows ‘infrutíferos’, expondo que o caminho da escuridão não leva a nenhum lugar bom”, comentou Wilson, fazendo referência a Efésios 5:11.

De acordo com o produtor, Brian “Head” Welch “mostra aos fãs como eles podem sair de sua própria escuridão pessoal através de Jesus, e muitos adolescentes estão aceitando a oferta. E, a propósito, a única razão pela qual eles estão ouvindo Brian é porque ele faz parte da banda que eles amam”, ponderou.

Resumindo a moral em torno do debate, o produtor afirmou que o músico está fazendo shows em que adolescentes estão sendo evangelizados, enquanto muitos fiéis estão debatendo se o que ele faz é certo ou errado, ao invés de também cumprirem o “Ide” com as ferramentas de que dispõem.

“Cristãos devem se envolver na indústria secular? Acho que nenhum adolescente que experimentou Jesus depois de um show do Korn realmente se importa com o que pensamos. Eles estão muito ocupados, conhecendo o Rei dos reis”, finalizou.