SEXTA-FEIRA, 22 DE NOVEMBRO DE 2019
Publicada dia: 06/11/2019

Bela Adormecida colombiana já chegou a dormir por 2 meses

Fonte: Megacurioso

O conto da Bela Adormecida foi lançado em 1959, mas a ficção se transformou em realidade e, neste caso, não há motivos para comemorar. Uma jovem colombiana de 17 anos foi diagnosticada ainda aos 2 anos de idade com uma doença muito rara conhecida como síndrome da “Bela Adormecida”.

Sharik Tovar nasceu na cidade colombiana de Acacías e sofre da síndrome cientificamente chamada de Kleine-Levin desde muito nova. A mãe dela, Marleny, apelou às autoridades por ajuda para o tratamento da filha.

A síndrome da Bela Adormecida é uma condição muito rara, com apenas 40 casos relatados em todo o mundo. Ela é caracterizada por episódios recorrentes de sono excessivo, alterações cognitivas e alterações comportamentais. Sharik chegou a dormir por dois meses ininterruptos. Além da dificuldade de alimentá-la durante este tempo, o período de hipersonia teve uma consequência: a garota teve perde de memória temporária. “Depois de um episódio de 48 dias em junho do ano passado, ela já havia perdido a memória temporariamente e perguntado quem eu era”, contou a mãe ao Caracol News.

Garota de 17 anos foi diagnosticada ainda aos dois anos de idade (Fonte: Reprodução/Youtube)

Neste ano, entre os meses de janeiro e fevereiro, a jovem teve um episódio de 22 dias de sono. Ainda sem um cateter para alimentação via sonda nestas situações, Sharik é alimentada pela mãe que precisa dissolver tudo que cozinha para alimentar a filha. Com isso, Marleny precisou deixar o emprego para cuidar integralmente da filha e é exatamente por isso que precisa da ajuda de autoridades para conseguir sobreviver.

A história da Bela Adormecida colombiana ganhou as manchetes nacionais em 2017 e o prefeito da cidade prometeu fornecer uma casa para que a família morasse sem precisar pagar o aluguel. Até hoje a promessa não foi cumprida. “Estamos resolvendo um problema relacionado ao final da construção, com os tanques subterrâneos para poder armazenar água”, justificou Orlando Gutierrez, prefeito de Acacías.

Mãe cuida em tempo integral da filha sem ajuda do governo (Fonte: Reprodução/Youtube)

A mãe da garota não se limitou ao prefeito e também apelou aos serviços públicos de saúde, na esperança de acelerar a entrega de suplementos nutricionais que Sharik precisa para sobreviver aos episódios de hipersonia. Além disso, ela busca tratamento neurológico para poder minimizar os impactos da perda de memória na filha. “É o que ela mais precisa porque não come da maneira que comemos”, lamenta.

Até hoje, as causas da Síndrome da Bela Adormecida são desconhecidas, assim como a cura.